Notícias

25 de novembro, 2013 - 08h54

Henriqueta Cavalcante fala sobre Conselhos Tutelares

Dando continuidade à série de entrevistas sobre a importância do Conselho Tutelar, a entrevistada hoje é a Irmã Marie Henriqueta Cavalcante, secretária executiva da Comissão de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ela é referência na área da infância e adolescência, principalmente em questões relacionadas à violência e abuso sexual de meninos e meninas.

Escola de Conselhos - Como você analisa hoje o papel dos Conselheiros Tutelares no Pará? Eles estão mais cientes de suas funções?

Irmã Henriqueta Cavalcante - Acredito que com todo o investimento feito pela Escola de Conselhos na formação dos mesmos, onde tudo converge para uma atuação consciente, qualificada e responsável; é possível sim, perceber que hoje, muitos conselheiros e conselheiras estão desenvolvendo suas funções com maior segurança, competência e responsabilidade.

Escola de Conselhos - E quanto à sociedade, existe maior reconhecimento desse operador de direito?

 

Irmã Henriqueta Cavalcante – Infelizmente, o que constatamos ainda hoje, é que a sociedade de um modo geral, não reconhece  o    trabalho dos Conselheiros Tutelares, ainda existe muitas críticas e cobranças que não estão contempladas em suas competências.

 

Escola de Conselhos - E entre os demais entes do SGD?

 

Irmã Henriqueta Cavalcante - São poucos ainda os que reconhecem e compreendem de fato o verdadeiro papel do Conselheiro Tutelar. Observamos em muitos lugares, exigências incabíveis, onde os mesmos chegam a realizar ações que não os compete.

 

Escola de Conselhos - Quais são os maiores desafios dos Conselheiros Tutelares?

 

Irmã Henriqueta Cavalcante - Carência de recursos humanos para trabalharem com dignidade; acúmulo de trabalho em alguns municípios; salário baixo também para alguns; pouco estímulo por parte de alguns SGD e também ainda a falta de formação, uma vez que para muitos não é disponibilizado recursos para participarem das formações oferecidas pela Escola de Conselhos e outros...

 

Escola de Conselhos -   Ainda existem várias visões distorcidas sobre o ECA. Como o Conselheiro Tutelar pode apoiar no esclarecimento da população?

 

Irmã Henriqueta Cavalcante - Sempre insistimos com os Conselheiros Tutelares para que possam investir na formação e orientação sobre o ECA, nas escolas e comunidades. É de suma importância investir em oficinas, encontros, e outros... que possam favorecer a aproximação com a discussão do mesmo,pois só assim será possível silenciar as tentativas conservadoras de criminalizar as vidas indefesas.

 

Escola de Conselhos -   Mesmo com os desafios os Conselheiros Tutelares já tiveram muitas conquistas, quais são elas?

 

Irmã Henriqueta Cavalcante - Para alguns, melhoria salarial; maior investimento na formação dos mesmo; conquista de espaço físico e instrumentos de trabalho;organização no meio deles.

 

Escola de Conselhos -     Dia 18 de novembro foi dia do Conselheiro Tutelar, deixe uma mensagem para eles.

 

Irmã Henriqueta Cavalcante - Quero parabenizá-los pelo dia do Conselheiro Tutelar e dizer que tenho um grande amor,carinho e admiração por aqueles e aquelas que no silêncio,simplicidade e abnegação enfrentam vários desafios, e nos dão um verdadeiro testemunho de amor na defesa dos direitos de nossas crianças e adolescentes. Portanto, permaneçam fortes, resilientes e corajosos, sem desanimar jamais! Que vivam esse serviço com alegria e certos de que não estão sozinhos! Que jamais possam negar e nem tão pouco trair a confiança e a esperança depositada em cada olhar daqueles e daquelas para os quais estão a serviço!

 

(0) O que você achou?


Universidade Federal do Pará - Instituto de Ciência da Educação 2º andar,
campus Universitário do Guamá/ Setor Profissional
Fone/Fax:(91) 3201-7269 • escoladeconselhosdopara@gmail.com




Copyright © 2011 Escola de conselhos do Pará. Todos os direitos reservados.

Libra Design +Tech